sexta-feira, 1 de abril de 2011

Piloto do Legacy envolvido em acidente da Gol é interrogado por videoconferência em Brasília

Piloto do Legacy envolvido em acidente da Gol é interrogado por videoconferência em Brasília

BRASÍLIA

O piloto americano Jean Paul Paladino está sendo interrogado neste momento pelo Juiz Federal de Sinop (MT) Murilo Mendes. Paladino é um dos dois pilotos do Legacy envolvido no acidente com o Boeing da Gol em Mato Grosso, em 2006, que resultou na morte de 154 pessoas. Paladino e o colega Joseph Lepore são acusados de negligência. Eles teriam deixado o transponder - equipamento anticolisão - desligado.

A secretária-geral da Associação de Familiares e Amigos das Vítimas do Voo 197 da GOL, Anne Caroline Rickli, espera que os pilotos do Legacy sejam condenados à prisão e percam o brevê - licença para pilotar - Eles têm que ser condenados pela Justiça brasileira, independentemente que voltem aqui para cumprir a pena. Eles têm de ser condenados à pena máxima - disse Anne, pouco antes do início da audiência.

Essa é primeira vez que um réu é interrogado em uma videoconferência internacional. O juiz e o promoter do caso estão em uma sala do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça. Os dois pilotos estão em Nova York.

A denúncia contra os pilotos foi aceita pela Justiça Federal em junho de 2007. Foram denunciados também quatro controladores de voo. O magistrado considerou a tese de que os crimes não estão previstos no Código Militar e que os seis devem ser julgados com base no Código Penal. No entendimento do juiz, o crime seria 'militar' se as aeronaves estivessem 'sob a guarda, proteção ou requisição militar', o que não aconteceu. "Não há portanto, como se acolher a tese - sustentada no inquérito pelo ilustre Delegado da Polícia Federal que esteve à frente das investigações - de que o julgamento dos controladores de vôo pela Justiça Militar estaria autorizado no Código Penal Militar", justificou o juiz.

Nenhum comentário: