terça-feira, 5 de abril de 2011

Controladores de voo negam falha humana em acidente com aeronave 1907 da Gol

Controladores de voo negam falha humana em acidente com aeronave 1907 da Gol

Eles foram ouvidos pela Justiça Federal de Brasília na tarde desta terça-feira
Os controladores de voo supostamente envolvidos no acidente entre um jato Legacy e um avião da Gol, em 2006, negaram que houve falha humana no controle do espaço aéreo de Brasília no dia em que as aeronaves se chocaram e provocaram a morte de 154 pessoas.

Jomarcelo Fernandes dos Santos e Lucivando Tibúrcio de Alencar foram ouvidos, durante uma audiência nesta terça-feira (29), presidida pelo juiz Murilo Mendes. Eles são acusados pela Justiça Federal de crime de neglicência, com base no artigo 261 do Código Penal.

O depoimento de Alencar durou cerca de uma hora e meia, segundo a assessoria de comunicação da Justiça Federal de Brasília. Nele, o controlador de voo se defendeu das acusações dos pilotos do jato Legacy, que afirmaram que ele não atendeu aos chamados da aeronave. Segundo o advogado de Alencar, Roberto Sobral, o controlador tentou vários contatos com os pilotos, mas não obteve resposta.

Ainda segundo Sobral, Alencar relatou ao juiz federal que o espaço aéreo que pertence ao controle de Brasília só era possível ser visualizada pelos controladores de voo de Manaus. Por isso, não foi possível visualizar o posicionamento do jato Legacy. A falha de alcance dos radares já era de conhecimento da Aeronáutica, segundo o delegado.

Já o depoimento de Santos durou cerca de uma hora. O funcionário afirmou que o aparelho do jato Legacy (transponder), que fazia a comunicação da aeronave com os controladores de voo, estava desligado. Por isso, o sistema acusou, automaticamente, que o avião estava no nível 370 (o que equivale a 37 mil pés de altitude). Posteriormente, foi constatado que o Legacy trafegava no nível 360, o mesmo que o voo 1907 da empresa aérea Gol.

Nesta quarta (30) e quinta-feira (31), o juiz Murilo Mendes ouvirá, por meio de teleconferência, os pilotos do jato Legacy, Jan Paul Paladino e Joseph Lepore, que vivem atualmente nos Estados Unidos. O magistrado anunciará a decisão dele depois que a defesa e o Ministério Público Federal apresentem considerações sobre o depoimento dos envolvidos no acidente. Para fazer isso, eles têm o prazo de dez após o fim das oitivas.

Nenhum comentário: