domingo, 7 de dezembro de 2008

Falha do piloto no acidente que matou 154

Falha do piloto no acidente que matou 154

Aeronáutica conclui que transponder do Legacy estava desligado, provocando choque dos aviões

Leonel Rocha


Brasília – Depois de descartar qualquer falha de equipamentos, a Aeronáutica vai divulgar na quarta-feira o relatório final sobre o choque entre o jato executivo Legacy e o Boeing da Gol em 29 de setembro de 2006 (que provocou a queda do avião comercial no norte do Mato Grosso e a morte de 154 pessoas), insinuando que a principal causa da tragédia foi a falha de um dos pilotos do jatinho. Ele teria desligado o transponder, equipamento encarregado de alertar para a aproximação perigosa de outra aeronave e que poderia ter evitado a tragédia. O que não fica claro é se o desligamento foi acidental.

“Os pilotos disseram que não realizaram nenhuma ação intencional para a interrupção do funcionamento do transponder e, conseqüentemente, do sistema anticolisão da aeronave, assim como também não perceberam ou recordam terem feito algo que pudesse ter ocasionado a interrupção, de forma acidental, do funcionamento dos referidos equipamentos”, diz a nota divulgada ontem pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica.

PROCEDIMENTOS

Elaborado pelo Centro de Investigação e Prevenção de acidentes Aeronáuticos (Cenipa), o relatório, segundo a Comunicação Social da FAB, constatou que “algumas normas e procedimentos não foram corretamente executados na ocorrência”. Isso, segundo a Aeronáutica, “levou a comissão a analisar os motivos pelos quais isso ocorreu, com o objetivo de elaborar recomendações de segurança de vôo”.

O trabalho do Cenipa não aponta, categoricamente, a culpa dos dois pilotos americanos do Legacy, Joe Lepore e Jan Paladino. Logo depois do acidente, as investigações iniciais já apontavam que o transponder tinha sido desligado assim que o jatinho decolou de São José dos Campos (interior de São Paulo) em direção aos EUA. A nota da FAB informa que, na semana passada, os familiares das vítimas viram trechos da reconstituição do acidente e também receberam informações sobre os trabalhos realizados até agora.

A Aeronáutica garante que não encontrou, na análise do acidente, qualquer indicação de influência ou deficiência de equipamentos de comunicação e vigilância no controle de tráfego aéreo na cadeia de erros e falhas na comunicação entre os pilotos do jatinho e controladores de São José dos Campos e Brasília, por onde o Legacy passou.

Nenhum comentário: