segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Estado: Para diretor da ExcelAire, culpa é dos controladores

Para diretor da ExcelAire, culpa é dos controladores

Mãe de Lepore diz que piloto não comenta mais nada sobre seu trabalho em casa, para evitar aborrecimento

Camila Viegas-Lee, NOVA YORK


O vice-presidente executivo da ExcelAire, David Rimmer, diz que não foi o transponder que causou o acidente de seu avião Legacy com a aeronave da Gol em setembro de 2006, causando 154 vítimas fatais. "O transponder é apenas uma distração da verdadeira causa do acidente, que foi causado pelo Controle de Trafego Aéreo (CTA) brasileiro, que colocou dois aviões em um curso de colisão por cerca de uma hora", disse Rimmer por meio da porta-voz da empresa, Lisa Hendrickson. A porta-voz da ExcelAire disse que a empresa soube do relatório a partir da reportagem do Estado.

"Um fator foi a falha do CTA em reconhecer a falha do transponder providenciar uma separação adicional entre as duas aeronaves, como o exigido pelo regulamento de aviação internacional", diz a porta-voz. "Não temos provas de como o transponder foi desligado e nenhuma evidência que sugira que tenha sido desligado propositalmente ou inadvertidamente."

Anna Lepore, a mãe do piloto Joe Lepore, disse que não leu nada, não assistiu a nenhum filme ou animação do acidente e que seu filho está trabalhando, mas em casa não fala mais sobre o trabalho. "Ele disse que não vai falar mais nada para a gente porque quanto menos falar, melhor", contou, por telefone, Anna ao chegar da missa de domingo com o marido Anthony. "Espero que tudo termine bem para todos."

O advogado americano dos pilotos, Joel Weiss, não retornou às ligações da reportagem. José Carlos Dias, advogado de defesa no Brasil dos pilotos, também não foi localizado.

FAMÍLIAS

Os familiares das vítimas não devem entrar com processo contra os pilotos norte-americanos Joe Lepore e Jan Paladino. O relatório que será divulgado na quarta-feira pela Aeronáutica esclarece que o transponder do Legacy foi desligado e entrou em stand by inadvertidamente. Caso estivesse em operação, o aparelho teria evitado o acidente, pois é ele que aciona o sistema anticolisão capaz de desviar o avião de outro alvo sólido que esteja próximo.

Para Jorge André Cavalcanti, um dos representantes das 154 vítimas fatais do acidente, buscar a Justiça americana com base no relatório da Aeronáutica pode ser constrangedor. "Já tivemos os indícios de que eles (a Justiça norte-americana) vão proteger os pilotos de qualquer forma. Um novo processo pode ser mais perda de tempo. Não acredito em algum efeito prático de uma ação", avaliou Cavalcanti.

O relatório da Aeronáutica também aponta falha de comunicação entre os controladores do Centro Integrado de Defesa Aérea e de Controle de Tráfego Aéreo(Cindacta) em Brasília e em São José dos Campos (SP), de onde o Legacy decolou. A investigação do Centro de Investigação e Prevenção de acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi detalhada em uma animação virtual que será apresentada na quarta-feira, com a reconstituição das duas aeronaves se chocando no ar sobre a Serra do Cachimbo (MT). Todos os ocupantes do Boeing morreram. O Legacy conseguiu pousar.

COLABOROU DIEGO ZANCHETTA

Nenhum comentário: