quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Pane no Cindacta-4 causou o "apagão" no aeroporto

Pane no Cindacta-4 causou o ‘apagão’ no aeroporto

13 de setembro de 2008.


MANAUS - O Centro de Comunicação da Aeronáutica (Cecomsaer), em Brasília (DF), informou, ontem (12), que o que causou o ‘apagão’ aéreo, na última quinta-feira à noite, em Manaus, foi a falta de energia e o não-funcionamento dos grupos geradores do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo em Manaus (Cindacta-4), bairro Tarumã, zona Oeste da cidade. As informações são do Diário do Amazonas.

De acordo com a Aeronáutica, houve uma queda de energia elétrica no Sistema de Controle de Aeronave, que comprometeu a iluminação da pista de pouso do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, zona Oeste. Na tentativa de evitar acidentes, os controladores foram obrigados a usar rádios da Infraero para monitorar aeronaves que passavam sobre o Amazonas, segundo a Aeronáutica.

A direção do Cecomsaer explicou, ainda, que foram postas medidas corretivas e preventivas para restabelecer o sitema, que ficou inoperante por volta das 20h15 e retornou após 40 minutos. Neste intervalo, quatro aeronaves tiveram que alterar suas rotas. Duas foram direcionadas para o aeroporto militar de Ponta Pelada, bairro São Láraro, zona Sul da cidade. Já as outras aeronaves tiveram que aguardar, aproximadamente, 50 minutos no espaço aéreo de Manaus, para efetuar o pouso no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

O Cecomsaer explicou que o Cindacta-4 possui dois geradores com alta capacidade para conter qualquer tipo de pane no sistema de energia, mas, desta vez, “não foi suficiente para conter a queda de energia”.

De acordo com a Manaus Energia, concessionária do serviço de distribuição de energia comercial em Manaus, na noite da queda de energia no Cindacta-4, a empresa não registrou cortes no fornecimento de energia elétrica para aquela área da cidade. Segundo diretor de Distribuição da Manaus Energia, Wenceslau Abtibol, o problema no Cindacta-4 foi de ordem interna.

O departamento da área técnica da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) ressaltou que o problema foi ocasionado por defeitos na subestação que atende apenas o aeroporto.

O Cindacta-4 responde pelo controle do tráfego aéreo no Amazonas, Roraima e Mato Grosso e parte do Pará, além de ser o responsável por 90% do tráfego aéreo que evolui dos Estados Unidos e da América Central.

Fonte: Portal Amazônia com informações do Diário do Amazonas - A.L

Nenhum comentário: