sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Ilhéus apenas visual

Ilhéus apenas Visual

O que era impreciso está agora sem opções

Por: Gustavo Mateus Carolino

É um absurdo que um aeroporto de médio porte, e o único da cidade de Ilhéus, tenha que deixar de operar vôos por instrumentos em qualquer circunstância. Para o Governo é claro que é mais barato e pratico escrever algumas linhas em um NOTAM (Informação ao aeronavegante) dizendo que não se opera instrumento em Ilhéus a ter que investir para tratar da realidade.

O problema não seria o fato de aproximações dependerem de uma navegação exclusivamente por contato, e sim a falta de estrutura e investimento por parte das autoridades.

O serviço de controle do espaço aéreo da terminal de Ilhéus terá mais trabalho, já que não possuem radar, opera sem freqüências alternativas, sem auxílios de instrumentos de precisão e sem uma torre de controle (área de observação), o que dá ao controlador pouca autonomia sobre as aeronaves em vôos, restringindo e dificultando bastante às operações, principalmente as de aproximação na pista 29 que exigem manobras sobre o mar, que não possui referencias visuais fixas.

É necessária a construção imediata de uma torre de controle e de investimentos para que se permita tal mudança. A implantação da Torre de controle permitiria uma visão do aeroporto e o controlador teria melhores condições de alertar aos pilotos sobre possíveis obstáculos a encontrar, tais como a presença de aves próximas das cabeceiras, por exemplo.

Existem outras formas para que os vôos na terminal de Ilhéus fluam de maneira mais favorável para os pilotos, para os controladores e inclusive para com a Escola de Aviação Civil de Ilhéus, que não teria como estar instruindo procedimentos IFR (vôo sob regras por instrumento) no aeroporto. Devemos também observar e seguir as riscas e de acordo com o regimento previsto da ZPA – Zona de Proteção Aeroportuária, onde prevê que não são permitidas construções dentro desta área sem a supervisão da força aérea ou órgão aeronáutico responsável, o que protegeria o espaço aéreo nas vizinhanças e contribuiriam para uma maior segurança nas operações, porém esta área vem sendo desrespeitada e esquecida pelas autoridades competentes.

Investimentos são necessários para a manutenção do aeroporto inclusive devido a grande abrangência de pessoas que são servidas direta e indiretamente por ele, além do seu valor histórico para a Bahia, e para as regiões próximas de Ilhéus que dependem deste meio para com seu desenvolvimento.

Nenhum comentário: