terça-feira, 22 de julho de 2008

Jobim promete relatório para 20 dias

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons". Luther King

Jobim promete relatório para 20 dias, Aeronáutica diz que vai demorar meses
Familiar acredita que a demora na finalização do relatório só prejudica os processos
Na última semana, o Ministro Nelson Jobim disse que o relatório oficial da investigação sobre o acidente do vôo 1907 será entregue em 20 dias, pois está em fase de finalização. Já, email enviado pelo Cenipa (Centro de Investigação da Aeronáutica), em nome do Brigadeiro Jorge Kersul, responsável pelas investigações, no último dia 11 de julho, informa aos familiares que a conclusão e entrega do relatório pode levar, ainda, meses para ser concluído.

“É absurdo o que estão fazendo conosco. Desde o acidente, em 29 de setembro, lutamos para ter informações completas e dignas de confiança. O governo e a Aeronáutica brincam conosco, ora divulgando que está pronto, quase pronto e, agora, que ainda vai levar meses para ser concluído”, diz a viúva Rosane Gutjhar.

Rosane é uma das familiares que luta, incansavelmente, pela justiça e condenação dos culpados pelo acidente que vitimou seu marido, Rolf Gutjhar e mais 153 pessoas. “Aqui no Brasil não conseguimos que os pilotos norte-americanos fossem ouvidos pela Justiça. Faz um mês que as perguntas foram enviadas para o Departamento de Justiça norte-americano e, até o momento, nem sequer sabemos se eles receberam, e quando se dará o depoimento, que pode levar anos, pois o Tratado de Cooperação, não estipula tempo para que eles deponham”, diz. Já nos Estados Unidos, segundo Rosane, o juiz Cogan determinou que o processo civil (indenizatório) seja aberto no Brasil e não em Nova Iorque. “Um dos motivos, segundo o documento do juiz, é que nem a Aeronáutica concluiu, ainda, o relatório final. Mais uma vez somos prejudicados pela morosidade do nosso governo ou pelos interesses que, estão acima, dos cidadãos brasileiros”, diz ela.

A indignação de Rosane Gutjhar é só um dos exemplos que assombram as famílias das vítimas do vôo 1907. “Eles querem nos forçar a fazermos acordos aqui no Brasil, que desistamos de nossa luta por justiça, mas isso não vai acontecer. Vamos continuar com a nossa luta, independente da ajuda do governo e da Aeronáutica. O relatório da Aeronáutica é parte fundamental dos nossos processos. Se eles nos enrolarem, por muito mais tempo, vamos procurar os tribunais internacionais”, conta.

Os advogados de Rosane e de mais de 70 famílias, preparam uma apelação à Suprema Corte, nos Estados Unidos. “Vamos apelar contra a decisão do juiz Cogan, pois temos 120 dias para isso. Não vamos desistir desse processo lá, pois é a única forma de fazer com que os pilotos deponham perante um juiz. Se não for aceito, vou entrar com um processo independente contra os pilotos e outro processo está sendo preparado contra danos morais”, explica Rosane.

“Não excluímos a possibilidade de ir até os tribunais internacionais de Direitos Humanos contra o Governo Brasileiro e a Aeronáutica”, conclui a viúva.

A revolta da familiar está baseada nas promessas da Aeronáutica. “Prometeram que nos entregariam o relatório em setembro de 2007. Depois, nos enrolaram até março de 2008. Em abril, cobramos, oficialmente, um posicionamento da Aeronáutica, que nos enviou uma carta dizendo que o material já estava nos Estados Unidos, em fase de avaliação, pelos órgãos internacionais. Agora, o ministro Jobim diz que entregará o relatório em 20 dias, e a Aeronáutica diz que isso ainda levará meses. Queremos sabem quem está mentindo e por quanto tempo mais vamos ter que suportar isso”, diz a viúva.

Nenhum comentário: